27/02/2012

A libertação no poder da Palavra

Alexandre Oliveira
Foto: Natalino Ueda/Cancaonova.com
Neste dia ouvimos que a cura de gerações é um processo, e para isso é necessário buscarmos um sacerdote, ou seja, estarmos na Igreja.

O livro de Eclo. 44, 10-17, afirma que os homens de bem não serão esquecidos. A Palavra de Deus, nos ensina que se homens se mantém fiéis a ela seus filhos, netos, gerações serão beneficiados, por causa da fidelidade.

O Evangelho de São Marcos 3, 32 afirma: “Tua mãe e teus irmãos estão lá fora à tua procura”. Jesus nos ensina que os laços da Palavra de Deus, são tão fortes quanto os laços de fé, e nos uni nesta grande família espiritual que é a Igreja.

Dentro deste processo de cura é importante que vivamos inseridos na nova família que é a Igreja. Hoje quero falar de um homem que entrou nessa família – São Timóteo, companheiro de missão de São Paulo.

Para isso apresento uma história narrada nos capítulos 14 a 16 dos Atos dos Apóstolos. Em um momento da missão de São Paulo, o povo da cidade de Lista, considerou-o um deus grego. Porém os judeus, perseguiram São Paulo, apedrejaram-no, o deixando como morto.

São Paulo não desistiu, voltou para Lista e lá encontrou São Timóteo, um jovem que buscava a Deus, mas era filho de mãe judia e pai pagão.

Timóteo significa aquele que honra a Deus.

Aquele jovem cresceu em um ambiente semelhante ao nosso, da mãe que reza e do pai que não quer saber nada de Igreja.

Mas São Paulo viu algo diferente nele, e o convidou para ser seu companheiro de missão. Para ser aquilo que seu nome significa, ou seja honra a Deus com a sua vida.

Olha a responsabilidade daquele garoto, ser testemunha e companheiro do próprio São Paulo. Inúmeras vezes São Paulo fala que ele e São Timóteo possuía o mesmo coração,
tamanha era a intimidade entre os dois, e aos poucos foi assumindo a paternidade espiritual deste jovem.

No final de sua vida, preso, São Paulo enviou cartas a Timóteo, abrindo seu coração, a seu “filho espiritual.”

Nessa carta ele deixou seu testamento, reavivando no coração daquele agora já homem maduro – Bispo de Éfeso, o desejo pela fidelidade a Deus.

São Paulo simplesmente o convidou a olhar para toda a sua história, para a fidelidade de sua mãe, e avó, e guardar o depósito da fé. (Cf. 1Tm 6, 2Tm 1).

Em nossa vida não é diferente, precisamos reavivar a fé dos nossos pais, olhando para nossa história e voltarmos a fé.


"A crise da fé constitui o maior desafio para a Igreja de hoje"
Foto: Natalino Ueda/Cancaonova.com

Veja mais fotos no Flickr

Veja mais fotos no FaceBook

Ontem o Papa Bento XVI recebeu em audiência os participantes da plenária da Congregação para a Doutrina da Fé, e afirmou que “A crise da fé constitui o maior desafio para a Igreja de hoje: por isso, a unidade dos cristãos é mais do que nunca necessária.”

Na Exortação Apostólica Verbum Domini, o Papa nos ensinou que a oração em família e a escuta da Palavra de Deus são alimentos para nossa santidade. Ele continua afirmando que toda casa precisa ter uma Bíblia, um lugar reservado para a Palavra de Deus, ou seja, todos nós precisamos manifestar nossa fé.

Muitas casas tem um espaço separado para o pecado, lugar reservado para bebidas alcoólicas, e não tem um lugar de destaque para a Palavra de Deus. Mas, não basta apenas ter uma lugar para a fé, para a Palavra de Deus, ela acima de tudo precisa ter o destaque em nosso coração.

É preciso que voltemos a fé, ela é o fundamento de toda a conversão. Para que sejamos libertos é preciso que tenhamos fé, que voltemos a ela.


Quero dá a você uma receita concreta: o Amor a Palavra de Deus.

Monsenhor Jonas, um São Paulo dos tempos modernos, possui um livro: A Bíblia no meu dia dia. Esse livro nos ensina a conhecermos a Palavra.

Você precisa estudar a Palavra de Deus, se alimentar dela, para ser um homem e uma mulher de fé. A Palavra de Deus nos dá força para enfrentar todo o problema.

A Bíblia e o Catecismo da Igreja Católica precisam ser nossos livros de cabeceira, porque são Alimentos Sólidos, e assim alimentados passaremos esta experiência de fé a nossos filhos.

A família de Timóteo era uma família de fé, e até seu pai pagão foi abençoado.

Meu irmão (a) é na Igreja que nossa fé é guardada, olhe para a sua vida e reaviva a fidelidade ao Senhor, faça a sua vida valer a pena sendo fiel ao Senhor, transmitindo a Palavra de Deus, o depósito da fé a seus filhos e a toda a sua família.

Assim, sua casa será liberta, curada e restaurada.

Seja como São Timóteo e traga a benção a toda a sua geração, libertando-a de toda maldição.

Deus abençoe.

Transcrição e Adaptação: Ricardo Gaiotti

Confira trecho da pregação de Alexandre Oliveira:

video

Nenhum comentário: